FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
 Bem-vindo ao Site dos Professores Aposentados
newsletter 
RSS
08 mai 2018 / 22:09

Algumas notas sobre a acção da IR no plano internacional

A CGTP não está filiada em qualquer organização mundial de sindicatos mas integra a CES (Confederação Europeia de Sindicatos) na qual os sindicalizados reformados estão organizados na FERPA (Federação Europeia de Reformados e Pessoas Idosas).

A Inter-Reformados (IR), sendo a organização dos trabalhadores reformados dos sindicatos filiados na CGTP participa, assim, no conselho executivo da FERPA que reúne ordinariamente duas vezes por ano, para além dos congressos (de quatro em quatro anos) e das assembleias de meio de mandato, entre os congressos; a última decorreu em Roma no passado mês de Outubro e na qual a IR participou. Embora na resolução aí aprovada se possa sublinhar “a necessidade urgente de uma Europa social, uma Europa de emprego, bem-estar público, direitos e justiça social, uma Europa para todos”, a IR foi a única organização presente que não votou a favor da aprovação do texto em que se defende um estatuto para a FERPA no seio da CES como se de mais um sindicato se tratasse.

Na verdade, para a IR, a FERPA deverá: desempenhar um papel activo na solidariedade, na cooperação e na unidade na acção em defesa dos interesses, direitos e aspirações dos reformados, pensionistas e idosos; ser um espaço de troca de informações, experiências de acção e luta e de definição de acções comuns e convergentes das organizações; ser um espaço unitário que salvaguarde a autonomia e a independência das organizações de cada país e não um sindicato europeu; respeitar e valorizar a diversidade de organizações, de objectivos e estratégias de luta, sendo para tal fundamental contribuir para o reforço da unidade na acção e da luta em cada país. Não sendo constituída por trabalhadores no activo, a Inter-Reformados não é um sindicato nem tem por objectivo vir a constituir-se enquanto tal no plano nacional ou internacional. Assim, consideramo-nos representados na direcção da Confederação Europeia de Sindicatos (CES) pela direcção da CGTP-IN.

Em onze e doze de Dezembro esteve em Portugal Quim Boix responsável pela organização dos reformados e pensionistas da FSM (Federação Sindical Mundial) para Espanha, excepto o País Basco. Quanto à FSM, a CGTP segue com atenção, interesse e solidariedade as suas acções e claro as da UIS PyJ (União Internacional Sindical dos Pensionistas e Reformados), através da IR e por isso estivemos no 1.º Congresso da PyJ, em Barcelona (2013) e na 1.ª Conferência dos PyJ, na Dinamarca (2016). Defendemos a solidariedade internacional no total respeito pela organização, pelo funcionamento e enquadramento político de cada país.

A IR no plano internacional e nacional seguirá evidentemente as orientações de acção definidas pela CGTP, organização sindical à qual estamos ligados e que expressa o projecto de transformação social pelo qual lutamos, nas suas formas e objectivos.


 
Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Voltar ao Topo