FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
 Bem-vindo ao Site dos Professores Aposentados
newsletter 
RSS
27 abr 2015 / 17:25

Porque comemoramos o 25 de Abril de 1974?

Somos nós, os da geração que viveu outros tempos, os do antes do 25 de Abril de 1974, os do tempo do fascismo, quem mais pode valorizar as conquistas que este dia permitiu atingir, devido à possibilidade que tivemos, de viver em duas realidades tão distintas!

Foi a Revolução do 25 de Abril de 1974 que possibilitou as conquistas políticas, económicas, sociais e culturais que deram corpo ao regime democrático consagrado na Constituição da República Portuguesa (CRP), que entrou em vigor a 2 de Abril de 1976, e que, ainda hoje, é um marco importante na defesa dos nossos direitos e conquistas.

Temos uma grande responsabilidade – a de passarmos aos mais novos as nossas experiências, as nossas vivências, como testemunho de quão importante foram as mudanças conseguidas.

Lembremos que, no seu artº 9º, a CRP atribui responsabilidades fundamentais ao Estado de que salientamos:

a) Garantir a independência nacional e criar as condições económicas, sociais e culturais que a promovam;

b) Garantir os direitos e liberdades fundamentais e o respeito pelos princípios do Estado de direito democrático;

d) Promover o bem-estar e a qualidade de vida do povo e a igualdade real entre os portugueses, bem como a efectivação dos direitos económicos, sociais, culturais e ambientais, mediante a transformação e modernização das estruturas económicas e sociais;

h) Promover a igualdade entre homens e mulheres.

Mas perguntamos – Na verdade será isto que estamos a viver?

Não! Sentimo-lo no nosso dia-a-dia…

Então, lembremos que o dia 25 de Abril, para além de ser um dia de festa, foi e é também um dia de luta – o dia em que as ruas das cidades deste país “foram tomadas” pelo povo!

Senhores governantes, contem connosco, a geração dos mais velhos, na luta pela defesa das CONQUISTAS DE ABRIL!

 


 
Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Voltar ao Topo