FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF

 Sindicato dos Professores no Estrangeiro
newsletter 
RSS
19 dez 2012 / 10:29

Da divergência não nasce a luz... e as soluções tardam!

Duas opiniões divergentes! Dois sentidos políticos! E o povo, nós, que queremos ver a nossa vida melhorar, que deixamos o nosso país para o desempenho de uma tarefa abraçada com muito carinho andamos ao sabor das ondas e da vontade de alguns.

Não basta a austeridade que nos fazem sentir através dos cortes salariais, através do retirar dos subsídios, sejam eles de que tipo for, até mesmo dos transportes, como pretendem, não basta a instauração de uma propina que a ninguém agrada, não basta vermos e lermos notícias nas quais, pessoas com responsabilidades acrescidas dados os cargos que ocupam, também essas atacam em toda a linha os postos de trabalho dos professores, abrindo caminho aos interesses dos privados encobertos por uma capa benfazeja de voluntariado, levando à destruição daquilo que, por direito, pertence a todos nós! Isto é cinismo com uma dose forte de hipocrisia!

Perante estas situações e outras, às quais tarda fazer-se justiça, a tutela nada diz, nada responde num silêncio ruidoso que mais soa a conivência passiva do a falta de vontade de agir.

Uns incentivam à emigração seja ela com i ou com e, outros apontam o dedo a atitudes irrefletidas e a discursos de circunstância. Quem tem razão? E os que já cá estão, que já sentem na alma e na pele os malefícios do desemprego? E aqueles que através de medidas administrativas ou outras correm o risco de engrossar as listas dos desempregados? Será que o bom senso é algo que não consta dos discursos?

Nós queremos paz! Queremos paz social, queremos trabalhar. Para isso deixámos a nossa terra. Não queremos crianças a passar dificuldades, a viver dentro de carros, a serem expulsas das casas que, em princípio, as acolheram mas a cujas portas a crise também bateu.

Os professores também sofrem ao ver sofrer as crianças e jovens que, desenraizados à força para acompanhar os pais nos caminhos da desventura procuram inserir-se numa sociedade já saturada e onde em breve se instalará uma competição desenfreada entre os cidadãos. Leiam por favor os dois discursos e reflitam bem.

Identifiquem a nossa margem de manobra para podermos dar rumo às nossas vidas e podermos gritar bem alto aos responsáveis: Parem! / CP

Declarações de Paulo Pisco

Declarações de José Cesário

Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Skip Navigation Links.

                 

Voltar ao Topo