CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
19 out 2018 / 10:10

As condições de Vida e de Trabalho na Educação em Portugal

Mais de 200 professores estão a participar no II Encontro Internacional Sobre o Desgate na Profissão Docente. Trata-se de uma iniciativa que é, simultaneamente uma ação de formação de curta duração. Um espaço de percepção de uma realidade que a FENPROF entendeu ter chegado o momento de pôr fim ao silêncio existente à volta deste tema.

A equipa de investigadores consegue provar que o problema é de organização do trabalho. O afastamento entre as expectativas dos docentes e a realidade do exercício da sua profissão é a principal causa dos problemas diagnosticados, bem refletidos nas conclusões que, nesta fase, é possível tirar, num estudo que, até pelo volume dos dados (cerca de dois milhões), não está e não podia estar terminado. A edição n.º 294 do Jornal da FENPROF (OUTUBRO DE 2018) publica, na íntegra, resultados finais de parte muito significativa dos dados obtidos.

Trata-se de um estudo marcante, oportuno e de grande utilidade para se tratarem os problemas do desgaste profissional docente e de esgotamento (ou exaustão) emocional entre os professores. Para a FENPROF é, também, um instrumento valioso de intervenção e ação. Um instrumento que é também valioso para todos os docentes.

“Os processos de saúde-e-doença do trabalho certamente são uma das questões públicas chave e um dos problemas sociais fulcrais para a interpretação – e a transformação – da vida de diversas sociedades no século XXI. E a sociedade portuguesa não é distinta. Este estudo pressupõe o reconhecimento da centralidade do trabalho para a formação social. Nascido do encontro entre investigadores universitários e dirigentes sindicais da FENPROF2 com uma preocupação comum – perceber o reflexo sintomal do que é o mundo laboral do trabalho na educação em Portugal –, o presente estudo social pretende responder a algumas «questões públicas»: Por que uma grande parte dos professores, ao final do dia, sentem-se esgotados? Quais são as causas do sentimento de exaustão emocional entre os docentes? De onde advém o stress laboral na educação escolar? Como compreender e/ou explicar um mal-estar tão difuso e generalizado nas funções, estrutura e dinâmicas desta atividade vital?” – é salientado na introdução ao estudo.

Ler estudo completo

Assista aqui a todas as intervenções do II Encontro Internacional sobre o Desgaste na Profissão Docente

Apresentação do Professor Christophe Déjours

Apresentação de Martin Henry (original em Inglês; versão em Português)


Sessão de Encerramento - Mário Nogueira, Secretário-geral da FENPROF

 


 

 

À esquerda: José Augusto Cardoso, sessão de abertura

À direita: António Coimbra de Matos, Roberto della Santa, Raquel Varela, Anabela Sotaia, Cristophe Déjours, Isabel Lemos

 

Da esquerda para a direita: Raquel Varela e Roberto della Santa

 

Da esquerda para a direita: Cristophe Déjours e António Coimbra de Matos


Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar

Imprimir Abrir como PDF

Contém 3 ficheiros em anexo:

 2018_lisbon_teacher_wellbeing_a_stress.pdf
 Cristophe-Dejours-Outubro-2018.pdf
 PT-2018_lisbon_teacher_wellbeing_and_stress.pdf

Partilhar:

|

Voltar ao Topo