CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
18 set 2018 / 15:44

Pequenez democrática da jornalista moderadora amputou o debate sobre Educação, no canal público de televisão, de uma importante componente

O Governo, em articulação com a Presidência da República, montou uma operação de propaganda na abertura deste último ano letivo da Legislatura, através da qual procurou esconder os problemas com que as escolas e os professores se confrontam neste regresso às aulas. Foi nesse contexto que se incluiu o programa de debate que passou no canal público de televisão, nesta segunda-feira, canal esse que, porém, prestou um mau serviço público ao amputar o debate de uma importante componente, o que, aliás, tem sido hábito nos debates sobre Educação, realizados no âmbito do programa em causa. 

A questão não se coloca em relação ao que foi dito pelos diversos intervenientes, pois, concorde-se ou não, têm toda a legitimidade em assumir as posições que muito bem entendem sobre o tema para o qual foram convidados. O problema residiu na pequenez democrática da jornalista que moderou o debate, cujos critérios de convite são tão estreitos que neles não couberam as organizações sindicais de professores. Goste-se ou não, são elas que, institucionalmente, representam os professores, sendo este um dos setores profissionais com mais elevada taxa de sindicalização.

Porém, esta jornalista, de forma reiterada, ignora as organizações sindicais de docentes, amputando o debate sobre Educação de uma importantíssima componente, ainda mais num momento que é muito marcado pela luta dos professores, em defesa dos seus direitos socioprofissionais, é verdade, mas também de uma Escola Pública Democrática e de uma Educação de qualidade para todos.

 

O Secretariado Nacional

 

 


 
Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Voltar ao Topo