CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
05 jul 2006 / 00:00

Concurso de recrutamento de pessoal docente para o ensino português no estrangeiro para (educação pré-escolar, 1º, 2º e 3º ciclos do básico e ensino secundário)

 

O concurso para a contratação de professores de português no estrangeiro abre segunda-feira e as candidaturas poderão ser apresentadas até final do mês, segundo um aviso publicado (23/06) em Diário da Repúblia.

O concurso será aberto para a educação pré-escolar, 1º, 2º e 3º ciclos do ensino básico e ensino secundário, e os professores serão contratados por um ano.

As condições exigidas no aviso hoje publicado seguem já as novas regras de acesso ao ensino do português no estrangeiro, elaboradas pelo Ministério da Educação (ME).

Assim, podem ser candidatos a dar aulas no estrangeiro cidadãos portugueses e estrangeiros, devendo estes dar provas de conhecimentos de português.

Os professores dos quadros do Ministério da Educação devem, juntamente com a sua candidatura, pedir licença sem vencimento por um ano.

O texto prevê ainda que os docentes no estrangeiro possam requerer o regresso antecipado ao serviço se, por motivos de doença, acidente de serviço ou gozo de licença de maternidade, entre outros, tenham de cessar mais cedo o seu contrato de um ano.

Os interessados têm cinco dias úteis, a partir de segunda- feira, para se candidatarem, devendo entregar a candidatura pela Internet, através do site www.dgrhe.min-edu.pt.

As listas serão depois publicadas em Diário da República, divulgadas nos sites da Direcção Geral dos Recursos Humanos da Educação (DGRHE) e do Gabinete de Assuntos Europeus e Relações Internacionais (GAERI) do ME, nos consulados ou embaixadas de Portugal a que o concurso respeita.

Os professores que aceitem a colocação e não se apresentem no local e data determinados para o exercício de funções docentes e os candidatos que, tendo aceite a colocação, abandonem o exercício das funções em menos de seis meses, ficam impedidos de prestar serviço docente durante dois anos escolares no estrangeiro ou no âmbito de concursos efectuados pela DGRHE.

Lusa, 23/06/2006

Imprimir Abrir como PDF

Contém 1 ficheiro em anexo:

 aviso7062_portugues_estr_2006.pdf

Partilhar:

|

Frentes e Sectores
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo