CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
11 jul 2007 / 00:00

Mais de 1300 escolas do 1º Ciclo deverão encerrar no próximo ano lectivo

Mais de 1300 escolas do 1º ciclo do ensino básico deverão encerrar no próximo ano lectivo, segundo um relatório do Ministério da Educação hoje divulgado pelo "Jornal de Notícias".

O documento do Gabinete de Informação e Avaliação do Sistema Educativo (GIASE) entregue há dois meses às direcções regionais de educação revela que das 1.313 escolas que deverão encerrar portas 614 são da zona centro do país, perdendo quase 39 por cento dos seus estabelecimentos de ensino.

Só no concelho de Viseu deverão fechar 28 escolas enquanto na Guarda e em Tondela está previsto o encerramento de 22. Contudo, de acordo com o jornal, pelo país multiplicam-se os concelhos que ficarão apenas com uma, duas e três escolas - sempre no Interior.

No Alentejo, aumentam os municípios que só ficam com as escolas básicas integradas a funcionar - caso de Barrancos e Gavião.

Em Março, a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, defendeu, em Castelo Branco, a necessidade de encerramento, no próximo ano lectivo, de cerca de 900 escolas do primeiro ciclo de reduzida dimensão no país. "Se o conseguirmos fazer, o país tem resolvido este problema das escolas de reduzida dimensão e das escolas abandonadas", disse na ocasião Maria de Lurdes Rodrigues aos jornalistas, no final de uma reunião de trabalho na autarquia de Castelo Branco.

Embora apontando com sendo de 900 o número de escolas a encerrar, a ministra sustentou que os serviços do Ministério da Educação (ME) estavam a trabalhar com os municípios a fim de serem definidas quais as que fecham e encontradas soluções para os alunos desses estabelecimentos de ensino.

No início do ano lectivo de 2006/2007, a tutela encerrou quase 1.500 escolas do primeiro ciclo, tendo por base critérios como a taxa de aproveitamento inferior à média nacional ou estabelecimentos com um número reduzido de alunos.

Os cerca de 11 mil estudantes que frequentavam as escolas encerradas foram transferidas para 847 estabelecimentos de acolhimento, onde foram investidos pela tutela 2,4 milhões de euros em intervenções realizadas pelas autarquias.

Público/ Lusa, 27/05/2007


FENPROF confirma encerramento de escolas

O Governo desmente, mas a FENPROF garante que existe um relatório do Ministério da Educação que aponta para o encerramento de mais de 1300 escolas primárias já este ano.

O gabinete da ministra da Educação reafirma que está previsto apenas o encerramento de 900 escolas do ensino básico.
 
Contudo, em declarações à Renascença, Francisco Almeida garante que a Fenprof tem um documento oficial que dá conta que o número de estabelecimentos de ensino a encerrar é superior.
 
"Nós temos um documento de um departamento do Ministério da Educação que inúmera as escolas que o Ministério quer encerrar e, de facto, elas estão todas lá. É um documento feito em papel timbrado de um departamento do Ministério da Educação e aponta para o encerramento de 1300 escolas do primeiro ciclo do ensino básico", disse.
 
Para a Fenprof o mais grave é o critério do Ministério da Educação para o encerramento de escolas do ensino básico.
 
"O Ministério da Educação tem esta atitude de grande arrogância perante as autarquias, não quer saber das cartas educativas que, entretanto, estejam aprovadas e avança com o encerramento das escolas. O relatório, no concelho de Viseu, aponta para o encerramento de 28 escolas deixando duas freguesias sem qualquer escola", acrescenta Francisco Almeida. / Rádio Renascença, 27/05/2007

Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Frentes e Sectores
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo