CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
27 dez 2017 / 12:12

Negociação sobre “progressão aos 5.º e 7.º escalões” e “concursos” irá entrar em fase designada por “suplementar”

 

A FENPROF não dá o seu acordo aos projetos ministeriais de portaria sobre progressão aos 5.º e 7.º escalões e de decreto-lei que prevê a realização de um concurso interno antecipado em 2018.

Os principais motivos de discórdia são os seguintes:

- Projeto de portaria sobre progressão aos 5.º e 7.º escalões: o ME recusa fixar percentagens mínimas de progressão anual, bem como prever a negociação do valor a fixar em cada ano, reservando para os governos o poder discricionário de, anualmente, impor uma quota. A ser assim, estariam abertas portas à arbitrariedade e à conveniência política, sendo certo que, em determinados momentos, o governo poderia, simplesmente, impedir qualquer progressão a estes escalões para, por exemplo, em ano eleitoral, ser excecionalmente generoso. A FENPROF reafirma a sua total oposição à solução que o governo pretende impor e insiste na necessidade de tornar transparente o mecanismo que o ECD estabelece;

- Concurso interno antecipado: a FENPROF concorda com a realização do concurso interno em 2018, até em coerência com a sua posição de defesa de concurso interno anual, a que se associam todos os outros procedimentos concursais a ele subjacente. O que discorda é que este concurso se realize ao abrigo de um quadro legal que já se provou ser pouco transparente e estar na origem de injustiças. Acresce o facto de os responsáveis ministeriais justificarem a antecipação do concurso para 2018 com a necessidade de “mitigar insatisfações” geradas pelo que teve lugar em 2017, mas, surpreendentemente, o único aspeto que propõem rever no regime legal em vigor vai, precisamente, no sentido de impedir o objetivo anunciado.

Ao longo do processo negocial realizado, desenvolvido em três rondas, o Ministério da Educação revelou-se completamente insensível aos argumentos apresentados pela FENPROF, mantendo uma postura de total inflexibilidade em torno das suas posições iniciais. Face à situação negocial criada, mas admitindo que a postura dos responsáveis do ME possa ser ainda alterada, a FENPROF decidiu avançar para o pedido de negociação suplementar, criando, desta forma, condições para que o processo negocial desenvolvido seja digno desse nome.

A entrega do pedido de negociação suplementar terá lugar amanhã, dia 28 de dezembro, pelas 15 horas, no Ministério da Educação. Para esse efeito, uma delegação sindical, que integrará o Secretário-Geral da FENPROF e o Presidente do SPGL, deslocar-se-á à “5 de outubro”. Convidam-se os/as Senhores/as Jornalistas a acompanharem o desenvolvimento deste ato formal.

 

O Secretariado Nacional


 
Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Acção Sindical
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo