CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
19 ago 2008 / 16:36

"No Trilho da Esperança" termina a 22 de Agosto em V. Real de S. António

"No Trilho da Esperança" é uma iniciativa da FENPROF e dos seus Sindicatos, concebida e protagonizada por António Morais, dirigente sindical, professor em Aveiro, na Escola Básica Integrada de Eixo, que visou unir Melgaço a Vila Real de Santo António, de bicicleta, entre 28 de Julho e 22 de Agosto.

Assim, convidamos as/os senhoras/os jornalistas e os órgãos de comunicação social a comparecerem no próximo dia 22 de Agosto, 6.ª feira, na Escola EB 2,3 D. José I, a partir das 13H00, momento em que será afixado um cartaz assinalando esta escola como pertencente ao "Trilho da Esperança" símbolo da unidade dos professores contra a politica educativa do governo de José Sócrates.

Terá aí lugar uma conferência de Imprensa que contará com a presença, para além de António Morais, do Secretário-geral e de outros dirigentes do Secretariado Nacional da FENPROF e do Sindicato dos Professores da Zona Sul.

Esta iniciativa tem em vista, também, alertar a opinião pública e manter acesa a pressão sobre o governo sobre as condições de vida e de exercício da profissão de professores e educadores:

- o isolamento em que exercem a sua profissão, sem serem devidamente considerados pelos sucessivos Governos, situação essa que, como a FENPROF tem repetidamente afirmado, tem sido frequente ao longo do mandato deste governo e desta ministra;

- o enorme esforço que implica/implicou para todos os docentes, sempre ou em ocasiões das suas vidas profissionais e familiares, sujeitarem-se às condições adversas do seu exercício profissional, de trabalho das escolas ou, até, de integração social das diversas comunidades que tiveram de abraçar ao longo das suas vidas;

- as distâncias, o afastamento da família e amigos e as sucessivas adaptações de condições de vida a que se sujeitaram em toda uma carreira profissional;

- o custo de vida, as despesas com transportes, com segundas habitações a que não podem fugir por força das colocações a que muitas vezes estiveram/estão sujeitos, sem que, no entanto, haja da parte do poder politico qualquer tentativa de compreender como seria importante ter havido ou haver diversos apoios, remuneratórios e outros, que minimizassem os problemas que decorrem desta realidade.

Desde já agradecemos a atenção que certamente dedicarão a esta acção, contando, por isso, com a vossa presença.

O Secretariado Nacional da FENPROF

Voltar ao Topo