CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
29 jul 2008 / 21:34

Um arranque em pleno

A nossa reportagem acompanhou António Morais nos primeiros momentos desta "acção de protesto e de alerta à sociedade", na estrada que liga Melgaço a Monção. Evidenciando boa disposição e avançando em excelente ritmo, o dirigente sindical cumpriu à risca o programa definido.
Na concentração que marcou o arranque do "Trilho da Esperança", junto à Secundária de Melgaço, com a presença de uma equipa de reportagem da RTP, António Morais esteve acompanhado por vários dirigentes do Sindicato dos Professores do Norte (SPN), incluindo Manuela Mendonça, coordenadora da Direcção e membro do Secretariado Nacional da FENPROF.

Depois de almoçar em Monção, final da primeira etapa (cerca de 25 km), Morais atingiu a EB1/JI de Pias (200 alunos oriundos de 14 freguesias), localizada neste concelho do Alto Minho, onde era aguardado por uma equipa de reportagem da TVI. António Morais esteve na sala de professores, dialogou com um elemento da coordenação da escola e, por momentos, recordou a sua passagem por este estabelecimento de ensino, sede de um Agrupamento entretanto extinto pelo ME.
Animado e revelando grande firmeza na concretização deste projecto, o dirigente sindical, no segundo dia do "Trilho da Esperança" (29 de Julho), manteve contactos na EB 2.3 de Valença, tendo dialogado com membros do órgão de gestão, outros docentes e funcionários, num ambiente marcado pela solidariedade em torno desta iniciativa e do seu protagonista, que depois seguiu rumo a Viana do Castelo, com paragens em Caminha e Moledo, percorrendo cerca de 60 quilómetros.  O terceiro dia do "Trilho" (quarta-feira, 30 de Julho) foi assinalado pela visita a uma escola de Viana.
Em conversa com a nossa reportagem, António Morais sublinhou que "é necessário protestar contra a forma como nos tratam" e alertou para a instabilidade e a precariedade laboral que se vive na profissão docente, observando:
"Anteriormente, os professores debatiam-se com situações de instabilidade no início das suas carreiras profissionais; agora essa instabilidade e essa ameaça sentem-se ao longo de toda a carreira". / JPO
Voltar ao Topo