CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
19 set 2007 / 21:35

UNICEF alerta para níveis críticos de má nutrição infantil na Somália

NAIROBI, 12 de Setembro de 2007 - Na sequência de um inquérito recente sobre nutrição, a UNICEF e os seus parceiros estimam que 83 000 crianças no Centro e Sul da Somália sofrem de má nutrição, das quais 13 500 estão gravemente mal nutridas e em perigo de morte.

"Estas crianças requerem uma atenção urgente para garantir que sobrevivam," afirmou o Representante da UNICEF na Somália, Christian Balslev-Olesen. "A UNICEF está muito preocupada com o possível aumento destes números devido à agitação civil, ao limitado acesso da ajuda humanitária a essas áreas, à insegurança alimentar e a uma economia em recessão," acrescentou. A má nutrição não é nova na Somália, porém níveis tão críticos na região que é conhecida como o cesto do pão do país são alarmantes e reflectem uma situação humanitária que se está a deteriorar. De facto, um inquérito abrangente sobre nutrição realizado em Maio na região do Alto e Médio Shabelle (junto a Mogadíscio) já tinha indicado que 17 por cento das crianças menores de cinco anos sofrem de má nutrição aguda global - uma percentagem que está acima dos limiares de emergência da OMS (> 15 por cento). "As crianças e famílias nesta região têm passado por choques sucessivos" afirmou Balslev-Olesen, "e em vésperas da próxima estação das chuvas, é importante que os esforços de paz sejam intensificados para garantir que a UNIEF e os seus parceiros possam dar resposta às causas subjacentes e estes problemas bem como às necessidades imediatas." A UNICEF apoia actualmente 60 programas alimentares selectivos no Centro e Sul da Somália. Estes centros tratam cerca de 15 000 crianças mal nutridas por mês. Mas para poderem incrementar as suas actividades e chegar aos milhares de outras crianças em risco, as questões da segurança têm de ser resolvidas. "Apelamos a todas as partes envolvidas," sublinhou Balslev-Olesen "para estabelecer a paz a fim de que possamos trabalhar com as comunidades para ir ao encontro das necessidades destas crianças." O número de pessoas que precisam de ajuda humanitária na Somália aumentou de um milhão para 1.5 milhões desde Janeiro deste ano. A maior parte dos mais necessitados é constituída por crianças e mulheres.

Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Frentes e Sectores
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo