CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
24 set 2015 / 11:40

A palavra aos representantes dos partidos

Isilda Aguincha:

  • "Não  pode ser imposta uma fusão entre politécnicos ou com universidades"
  • "O ideal é que as instituições não dependam em absoluto do financiamento do Estado. É possível encontrar recursos para além do Orçamento do Estado"
  • "Queremos descongelar as progressões... mas não à velocidade que todos gostaríamos..."
  • "Há que trazer gente nova ao sistema de ensino superior"
  • "Nesta legislatura houve um acompanhamento muito especial aos politécnicos. As mudanças no superior foram um desafio ao longo da legislatura"
  • "Vivemos anos de contenção para todos"
  • "É importante a articulação do ensino superior com as empresas. Há que abrir mais as instituições de ensino superior ao exterior"
  • "O politécnico foi e é uma mais valia"
     

Pedro Alves:

  • "Há que dar prioridade à investigação científica"
  • "O principal problema do ensino superior, hoje, é financeiro"
  • "Qualquer Governo que venha aí vai ter que enfrentar grandes dificuldades..."
  • "O corpo docente do ensino superior está envelhecido. Há que reconhecer direitos e valorizar as pessoas. Há que ultrapassar o problema da massa salarial."
  • "A renovação não se faz de um dia para o outro..."
  • "Deve-se manter a diferenciação" (sistema binário)
  • "Fizeram-se avaliações muito injustas a várias instituições científicas"
  • "Assistimos nos últimos anos a uma preocupante fuga de cérebros"
  • O PS vai "procurar repor os níveis salariais em 2016 e 2017 e dar início ao desbloqueamento das carreiras em 2018 - isto é o que é possível, segundo os indicadores"
  • "Todos os que estão nesta sala sabem o que aconteceu nos últimos quatro anos..."


Rita Rato:

  • "A desvalorização dos politécnicos, orientação contrária à Lei de Bases do Sistema Educativo, foi um claro sinal político do Governo"
  • "Não se faz rejuvenescimento do pessoal docente do ensino superior sem combater a precariedade"
  • "Somos a favor do fim das propinas. E quanto ao necessário aumento da receita fiscal para possibilitar esse objetivo existem várias alternativas... Acabar com as propinas "custaria" 33 2 milhões de euros, mas só o perdão fiscal ao Novo Banco "custou" 400 milhões..."
  • "O ensino superior em Portugal sofre de um subfinanciamento crónico"
  • "A ação social no superior é limitada"
  • "As instituições de ensino superior devem ser respeitadas, não devem deixar-se espezinhar..."
  • "Somos a favor do sistema unitário, integrado e participado, salvaguardando as missões específicas dos politécnicos"
  • "Os politécnicos devem poder dar doutoramentos"
  • "É necessário descongelar progressões e repor os valores salariais. Há também que voltar à questão do alargamento do período transitório e à reversão dos despedimentos por não conclusão da qualificação de referência."
  • "Foram muito importantes os contributos da FENPROF nas audiências na Comissão de Educação, Ciência e Cultura, chamando a atenção dos deputados para problemas gravíssimos, nomeadamente no ensino superior"

 

João Mineiro:

  • "Se se continuar a gastar o que se gasta em juros da dívida, o que é que se pode fazer pelo desenvolvimento do ensino? Que política pública séria para o ensino superior se pode esperar?"
  • "Há que rever o Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior para garantir a gestão democrática. E propomos também uma presença mínima de 30 por cento de mulheres nos diferentes  órgão das instituições"
  • "No âmbito da ciência há que recuperar o que foi destruído nestes quatro anos"
  • "Temos muitos jovens sem acesso ao ensino superior, e muitos outros que o abandonam, consequência das políticas de austeridade e cortes"
  • "Às necessidades permanentes das instituições devem corresponder postos de trabalho"
  • "Somos contra os abusos da carga horária dos docentes"
  • "Condenamos frontalmente as políticas do PS e do PSD em matéria de financiamento e propinas"
  • "Os estudantes bolseiros deviam estar isentos de propinas. É necessária a revisão do regulamento de bolsas, de modo a alargar o universo de beneficiários da ação social escolar direta"
  • "As avaliações das instituições científicas conduziram a um resultado triste. Há que anular o concurso e avançar com regras claras"
  • "Os critérios economicistas representam um perigo quando se pensa em reorganização da rede"

JPO

Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Nacional
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo