CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
15 nov 2017 / 19:01

Greve histórica dos professores traduz disponibilidade para, se necessário, continuar a lutar

FENPROF PARTE PARA NOVA RONDA NEGOCIAL COM A FORÇA QUE OS PROFESSORES HOJE LHE TRANSMITIRAM

 

A FENPROF saúda todos os Professores e Educadores que hoje fizeram greve dando, dessa forma, um excelente contributo para a concretização dos objetivos reivindicativos que estão em causa, desde logo, a contagem integral do tempo de serviço cumprido para efeitos de posicionamento e progressão na carreira. A FENPROF saúda, ainda, todos os que, estando em greve, participaram nas concentrações que se realizaram em Lisboa e nas Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores, dando expressão pública ao protesto e às justas exigências que unem os docentes e em torno das quais convergem as suas organizações sindicais. 

Esta grandiosa greve dos Professores e Educadores teve uma adesão da ordem dos 90% o que a coloca no patamar mais elevado das greves por estes realizadas. 

Amanhã, terá lugar nova ronda negocial, tendo o Governo agendado para as 18 horas a reunião com a FENPROF. Pelo que já se percebeu, as reuniões marcadas para esta quinta-feira, que decorrerão nas instalações do Ministério da Educação, têm uma duração prevista de uma hora, o que parece manifestamente insuficiente, dada a complexidade do que está em causa e o distanciamento que existe entre as posições do Governo e as dos Professores e Educadores.

Nesta reunião, a FENPROF defenderá as seguintes posições: 

- Contagem integral do tempo de serviço prestado pelos docentes, o que impõe a recuperação dos 9 anos, 4 meses e 2 dias de congelamento;

- Consagração deste processo de recuperação na Lei do Orçamento do Estado para 2018;

- Recuperação faseada do tempo de serviço cumprido pelos docentes, tendo por referência final o ano de 2021;

- Garantia de reposicionamento, anterior ao descongelamento, dos docentes retidos no 1.º escalão da carreira desde 2013;

- Reposicionamento dos docentes retidos, desde 2010, nos 4.º e 6.º escalões;

- Compromisso de desenvolvimento de processos negociais futuros relativos a horários de trabalho, aposentação e concursos.

 

Os Professores e Educadores estarão atentos ao que se passará nesta reunião e disponíveis para, caso o resultado não seja positivo, desencadear novas formas de luta tão ou mais fortes do que a que hoje teve lugar e cujos resultados se divulgam abaixo.

 

Sindicato dos Professores do Norte

Sindicato dos Professores da Região Centro (dados atualizados às 17h30 de 16 novembro)

Sindicato dos Professores da Grande Lisboa (dados atualizados às 18h00 de 16 novembro)

Sindicato dos Professores da Zona Sul

 

Entretanto, às 15:00 horas, a FENPROF reunirá com o grupo parlamentar do PSD (última reunião da ronda que teve lugar nesta fase de debate do OE para 2018), aproveitando o facto de se deslocar à Assembleia da República para fazer um novo contacto com os outros grupos parlamentares, junto dos quais procurará garantir compromissos, com expressão na proposta de Lei do OE, caso das negociações com o governo não surjam resultados positivos, designadamente em relação ao descongelamento das carreiras e à recuperação de tempo de serviço.

 

O Secretariado Nacional


 
Imprimir Abrir como PDF

Contém 4 ficheiros em anexo:

 Dados-SPGL-finais.PDF
 Dados_Greve-15nov2017-SPM.PDF
 Dados_Greve-15nov2017-SPNa.PDF
 Dados_Greve-15nov2017-SPZS.PDF

Partilhar:

|

Acção Sindical
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo