CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
21 jun 2010 / 10:51

Professores e Educadores do Agrupamento de Escolas da Mealhada

Perante a imposição do ME, através da Direcção Regional de Educação do Centro, de impor a fusão dos Agrupamentos de Escolas da Mealhada, Agrupamentos de Escolas da Pampilhosa e da Escola Secundária da Mealhada professores/as e educadores/as abaixo-assinados vêm manifestar a sua mais viva indignação face ao modo como está a ser imposta esta medida.

Como todos sabemos, não visa a qualidade da Escola Pública, mas antes a exclusiva redução de gastos numa visão economicista capaz de comprometer o futuro do país, ao dirigir um ataque tão irresponsável a um sector vital como é o da Educação.

À constituição deste novo mega-Agrupamento presidem apenas medidas de carácter económico, consubstanciadas na redução de cargos de Direcção e outros postos de trabalho, bem como na obrigação dos docentes prestarem serviço em qualquer escola do Agrupamento, no aumento do número de elementos dos Departamentos, tornando o seu funcionamento mais burocrático e desvalorizando a sua natureza pedagógica.

Estas medidas traduzir-se-ão numa consequente deterioração da qualidade da escola pública, através da desvalorização das questões pedagógicas, dificultando a promoção das aprendizagens, e contribuindo, assim, para o aumento do insucesso e abandono escolares.

Não vamos ficar indiferentes à falta de respeito por projectos pedagógicos iniciados há menos de um ano. Não é possível a concretização séria de qualquer projecto, com a instabilidade permanente nas escolas, de que estas fusões são mais um exemplo, com a inerente queda de todos os órgãos do Agrupamento, seguida da nomeação de comissões instaladoras e de processos eleitorais para novos órgãos.

Esta decisão põe em causa o atendimento e a relação de proximidade que, acreditamos, seja a base do sucesso escolar, que tantos almejamos.

Finalmente, mais uma vez, reiteramos a necessidade da defesa de uma gestão democrática, profundamente abalada com a implementação do Decreto Lei 75/2008.

Mealhada, 18 de Junho de 2010

Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Frentes e Sectores
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo