FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
 Campanha Nacional em Defesa da Escola Pública
newsletter 
RSS
21 mai 2013 / 17:36

“Os professores são precisos nas escolas! Não aceitamos a mobilidade especial!”

“É falso que haja professores a mais. Os professores são precisos nas escolas! Há, sim, políticas que visam, deliberadamente, eliminar postos de trabalho, tornando cada vez mais difícil a vida das escolas.Não aceitamos a mobilidade especial!”, sublinhou Mário Nogueira, na passada terça-feira, 21 de maio,  em Viseu.

O Secretário Geral da FENPROF falava na concentração de docentes integrada na campanha em defesa da escola pública, cuja caravana esteve esta terça-feira em Viseu. Mário Nogueira condenou energicamente políticas que apostam no aumento do desemprego, da instabilidade, da precariedade e dos horários de trabalho e no prosseguimento dos cortes nos salários, nas pensões e nos apoios sociais.

“Um período de horror sem fim” – foi assim que Nogueira caracterizou os dias que vivemos, para os quais é fundamental o reforço da unidade, do protesto e da luta, lembrando, a propósito, as acções recentemente aprovadas pelas organizações sindicais de professores (greves às avaliações, manifestação nacional no dia 15 de junho e greve geral de professores no dia 17 de junho).

“Ninguém quer desistir da sua vida!”, sublinhou o dirigente sindical, que afirmaria a dado passo: “Os portugueses têm  que pôr este governo a andar e rapidamente. É gente que não é politicamente séria. Chegados ao poder, fazem rigorosamente o contrário do que apregoaram na campanha eleitoral”.

Um MEC sem capacidade política

“No mesmo dia em que Nuno Crato se mostrou muito surpreendido com o anúncio das lutas dos professores, foi conhecido, à noite, o projeto da mobilidade especial para os professores”, observou o dirigente sindical, que afirmaria mais adiante: “A Educação está entregue a quem não tem capacidade política”. 

O Rossio de Viseu recebeu a animação desta campanha nacional, com um diversificado programa, que incluiu a distribuição de documentos à população, recolha de assinaturas nos postais e exposição dos materiais da campanha, como tem sucedido desde o primeiro dia; decorreu ainda na parte da manhã uma demonstração de boccia por alunos da Escola Secundária da Sé.

Da parte da tarde houve a apresentação de trabalhos de robótica dos alunos da EB 2.3 Azeredo Perdigão e um momento de animação de rua, com dança, pelos alunos da Escola Secundária Viriato, a que se associaram também alunos da EB 2.3 de Silgueiros.

Ponto alto da ação em Viseu foi também a intervenção do Diretor do Agrupamento de Escolas de Cinfães, Manuel Pereira, que relatou alguns pormenores do trabalho desenvolvido por este agrupamento na esfera do apoio social aos alunos, às famílias e à comunidade educativa em geral. Trata-se de uma zona muito desfavorecida do país. O apoio social multifacetado que tem sido dado por este agrupamento, através de diferentes iniciativas, revela uma outra faceta da escola pública, que nem sempre chega ao conhecimento da opinião pública nacional.

Rumo a Aveiro

A caravana avança esta quarta-feira para a cidade de Aveiro. A apresentação de atividades das escolas/agrupamentos começa às 10h00, de acordo com a seguinte programação: - AE de Aveiro – Aveiro: Quadros do reportório da participação nas Escolíadas - ES Serafim Leite – S. João da Madeira: demonstração de protótipos de Robótica - AE da Oliveirinha – Aveiro Mostra de práticas por alunos do 1º CEB - Conservatório de Música de Aveiro - mostra de práticas por alunos - AE de Eixo – Aveiro: mostra de práticas por alunos Destaque para o debate “A Rede Escolar no Concelho de Aveiro”, com a participação de representantes dos partidos políticos com assento na Assembleia Municipal de Aveiro Ás 18h30 terá lugar o concerto de encerramento com o “Canto Décimo”, Gp. Coral de Professores do AE José Macedo Fragateiro, de Ovar.


 
Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Voltar ao Topo