FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
 Departamento do Ensino Superior e Investigação
RSS
24 mar 2021 / 11:33

FENPROF reclamou junto do Ministro Manuel Heitor pelos argumentos usados para excluir ensino superior da fase 1 de vacinação, propôs que sejam vacinados juntamente com docentes do ensino secundário e lembrou compromissos não concretizados

Os docentes das instituições de ensino superior não foram integrados na fase 1 de vacinação contra a Covid-19. Dessa forma, não acompanharam os docentes de outros níveis de ensino, tendo o Ministro Manuel Heitor justificado essa decisão com o facto de as turmas no ensino superior terem um número de alunos inferior às do ensino básico e do ensino secundário. É verdade que nestes níveis de ensino o número de alunos por turma é excessivo, como a FENPROF tem vindo a chamar a atenção, mas não há grande diferença para o ensino superior onde, em muitos casos, o número de alunos nas turmas é, até, bastante superior a trinta. 

A este facto, acrescem outros que são conhecidos e levaram a que, durante os momentos mais graves da crise sanitária, tivessem sido os jovens do grupo etário 18 - 24 aqueles em que a taxa de incidência da Covid-19 mais cresceu. Para além disso, são jovens oriundos das mais diversas regiões, alguns de municípios onde o número de casos ativos se mantém elevado, que se cruzam nas instituições de ensino superior, quer entre si, quer com os seus professores e outros trabalhadores que nelas prestam serviço.

Nos seus pronunciamentos, UNESCO e UNICEF instaram os governos a considerarem os professores nos grupos prioritários de vacinação sem distinguirem os níveis de ensino em que estes lecionam, antes demonstrando preocupação com o facto de, não sendo vacinado o pessoal docente e não docente, os estabelecimentos de ensino correrem o risco de voltarem a encerrar, o que seria muito negativo. 

Face a esta situação, a FENPROF dirigiu-se ao Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior reclamando pelos argumentos usados para justificar a exclusão dos docentes do ensino superior da fase 1 de vacinação contra a Covid-19, bem como a propor que estes e todos os investigadores que também desenvolvam atividade letiva sejam vacinados no mesmo fim de semana dos professores do ensino secundário, em limite no seguinte, visto as atividades letivas em ambos os níveis de ensino voltarem a ser presenciais a partir de 19 de abril. Do ofício enviado ao Ministro foi dado conhecimento ao Coordenador da Task Force para a elaboração do «Plano de vacinação contra a COVID-19 em Portugal» e aos Grupos Parlamentares.

Aproveitou a FENPROF para recordar Manuel Heitor que este não é o único problema que afeta os docentes do ensino superior e os investigadores, lembrando a FENPROF não só os problemas para os quais tem apresentado propostas que, infelizmente, não têm sido acolhidas, mas, também, que, ainda em 2020, o Ministro se comprometeu a desenvolver processos negociais que terminariam até final do primeiro trimestre de 2021, no entanto, estando nós já em meados de março, nem sequer apresentou qualquer proposta para negociação.

 

O Secretariado Nacional


 
Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Acção Sindical
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo