CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
22 jun 2018 / 21:08

"Se pudesse, a FENPROF tomaria a iniciativa de convocar nova reunião negocial, mas não nos compete a nós"

O Secretariado Nacional da FENPROF esteve reunido esta sexta-feira para fazer um balanço dos resultados da primeira semana de greve às avaliações e analisar o momento político.

Na sequência das declarações do Ministro da Educação, que apelou aos sindicatos para que voltassem à mesa das negociações, Mário Nogueira recorda que as organizações sindicais não abandonaram o processo negocial, pelo contrário, continuam a solicitar ao Governo que retome as negociações. No entanto, os sindicatos esperam, desde 6 de junho, que o Ministério da Educação esclareça as declarações do Primeiro-Ministro na AR a 5 de junho e que convoque nova ronda negocial. O Secretário-geral da FENPROF lembra que não cabe aos sindicatos a convocatória de reuniões negociais com o governo.

 

Mais de 96% das reuniões agendadas para a semana de 18 a 22 de junho não se realizaram! Uma resposta fortíssima dos professores à recusa do governo em recuperar o tempo de serviço que cumpriram. O Secretário-geral da FENPROF fez o balanço da primeira semana da greve às avaliações convocada pelo conjunto de 10 organizações sindicais que se têm sentado à mesa das negociações com o governo desde dezembro de 2017 para recuperar os 9 anos, 4 meses e 2 dias de tempo de serviço cumprido pelos professores.

 

Por fim, José Alberto Marques, do Secretariado Nacional da FENPROF, explicou porque os sindicatos classificam de "fraudulentos" os números apresentados pelo Governo para as despesas com o descongelamento das carreiras dos professores.

 

Apresentação FENPROF - Conferência de Imprensa - 22 de junho 2018

 

Dados totais da semana de 18 a 22 de junho:

SPGL - 18 a 22 junho | SPN - 18 a 22 junho | SPRA - 18 a 22 junho | SPRC - 18 a 22 junho | SPZS - 18 a 22 junho

 


Voltar ao Topo