CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
02 jun 2018 / 08:43

Um final de ano exigente para uma ação exigente

O Secretariado Nacional da FENPROF ratificou o calendário de ação e luta dos professores dos ensinos básico e secundário e educadores de infância, o que implica uma forte mobilização e uma grande organização nos locais de trabalho.

Com o apoio das suas direções sindicais, os núcleos de cada escola ou agrupamento podem e devem começar a discutir as formas de participação numa greve que pode ser prolongada e que não escapará a golpes baixos do ministério da Educação para a evitar.

O momento, o calendário e o ajustamento da ação a desenvolver no final deste ano letivo não é responsabilidade dos docentes, mas sim do governo e do ministério da Educação que não honram compromissos, mentem despudoradamente e semeiam a confusão, tudo para não resolver problemas que afetam os professores e educadores, em nome de um economicismo que põe em causa a profissão, desrespeita os seus profissionais e revela, sobre eles, uma enorme falta de respeito.

AÇÕES/INICIATIVAS/REUNIÕES JÁ AGENDADAS

- 4 de junho, 9h30, reunião com o ministro da Educação

- 6 de junho, 10h00, Audição da FENPROF na comissão parlamentar de Educação e Ciência

- 6 de junho, 11h30, reunião negocial, no ME, sobre o despacho de organização do ano letivo

- 7 e 8 de junho, reunião do Secretariado Nacional da FENPROF

- 9 de junho, 10h00, reunião do Conselho Nacional da FENPROF

- 9 de junho, 15h00, Manifestação Nacional da CGTP, pela valorização do trabalho e dos trabalhadores

- 16 de junho, 9h30, Encontro Nacional sobre o regime de Autonomia e Flexibilidade Curricular, Porto

- 18 de junho, início da Greve dos Professores às Avaliações


 
Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Voltar ao Topo