CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
21 nov 2013 / 14:42

Reportagem da iniciativa em Lisboa

Foi no passado dia 19 de novembro que se realizou na Escola Secundária D. Dinis, em Lisboa, mais uma exposição, seguida de debate, inserida no Projeto em parceria com CNOD/FENPROF e cofinanciado pelo INR, sob o tema “A importância da Escola na Inclusão Social de Crianças e Jovens com Deficiência”.

No debate participarem o Prof. David Rodrigues, o docente de Educação Especial Joaquim Colôa, a encarregada de educação Elsa Castanha e José Patrício.

Todos os oradores colocaram a tónica na inclusão como vertente de um caminho que todos temos de percorrer. Não esquecendo os obstáculos e dificuldades, todos acreditam que está nas mãos/atitudes de cada um o sucesso da integração positiva de crianças e jovens com deficiência.

O Prof. David Rodrigues analisou e levou-nos as refletir sobre as intenções interiores de cada sujeito e como as mesmas podem e fazem toda a diferença quando convertidas em atitudes positivas no dia a dia.

O docente de educação especial Joaquim Colôa, colocou a tónica da sua intervenção na necessidade premente de preparar as crianças e jovens com necessidades educativas especiais para as transições da vida desde sempre, porque desde cedo todos nos confrontamos com mudanças e ajustes aos quais temos de reagir e nos adaptar durante a vida.

A encarregada de educação Elsa Castanha, partilhou a sua experiência como mãe de uma adolescente com o espetro do autismo. Mencionou as dificuldades inerentes à inclusão escolar e social, em todo o seu percurso escolar. No entanto, também ilustrou pequenos/grandes passos dados e vividos no caminho da inclusão, com pessoas que partilharam atitudes e respostas de integração positiva.

José Patrício trouxe-nos o tema do desporto – Boccia - como um contributo inclusivo nas escolas da Península de Setúbal, onde está a ser implementado o projeto como desporto escolar para todos e que inclui crianças e jovens com e sem Necessidades Educativas Especiais, em trabalho de equipa.

As intervenções dos participantes foram interessadas e apelaram a mais iniciativas do género. Consideraram a temática importante e relevante tanto para o ambiente escolar como social.

Concluímos, assim, que a inclusão é uma necessidade e um trajeto que já está a ser traçado por muitos, mas ainda terá de ser percorrido por tantos outros, no sentido de ultrapassar barreiras e encontrar equilíbrios.

Na despedida, fica-nos uma palavra que para todos nós tem um significado especial e faz a diferença “ACREDITAR”.

Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Frentes e Sectores
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo