CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
05 jan 2017 / 10:19

Uma reunião interessante da qual se esperam resultados positivos em prol de uma escola cada vez mais inclusiva

 Ana Simões, do Secretariado Nacional e Coordenadora do Departamento de Educação Especial da FENPROF, faz o balanço da reunião

A criação de um grupo de recrutamento de professores de Língua Gestual Portuguesa foi assunto que mereceu o acordo da FENPROF e dos governantes presentes. Espera, agora, a FENPROF que a criação deste grupo de recrutamento, bem como de um destinado aos docentes da Intervenção Precoce, seja acordado no âmbito da negociação em curso de revisão da legislação de concursos. A reunião a realizar amanhã, 6 de janeiro, poderá confirmar essa opção.

A reunião realizada com a presença dos já referidos secretários de estado foi ainda importante pois permitiu refletir em torno da situação que atualmente se vive nas escolas, no que respeita à plena inclusão de alunos com necessidades educativas especiais.

A FENPROF insistiu muito na necessidade de serem criadas condições – recursos técnicos e humanos – nas escolas para que estas possam garantir a plena inclusão dos alunos, considerando que a revisão do atual diploma que regula a Educação Especial (Decreto-lei 3/2008) é uma boa oportunidade para corrigir alguns desses aspetos mais negativos.

Sobre esse processo de revisão, a FENPROF considerou que o relatório até agora conhecido é pouco claro no que propõe para o futuro, sendo ainda equívoco em alguns dos conceitos que apresenta, alegadamente, inovadores. Espera-se que, concluído o relatório final e elabora o projeto de novo diploma legal, haja espaço para uma auscultação ampla na qual a FENPROF pretende participar.

Por último, a FENPROF entregou aos governantes presentes a Carta Reivindicativa dos Professores com Deficiência aprovada em Encontro Nacional realizado em 2015 e ratificada no 12.º Congresso da FENPROF, sublinhando alguns dos aspetos que considera mais relevantes.

Secretariado Nacional da FENPROF
5/01/2017

Processo de alteração do Decreto-Lei nº 3/2008, de 07/01. Contributos da FENPROF

Conferência de imprensa da Educação Especial/23 set.2016


Nota anterior:

A FENPROF esteve reunida (5/01/2017) com a Secretária de Estado da Inclusão de Pessoas com Deficiência e com o Secretário de Estado da Educação. A delegação sindical foi dirigida por Mário Nogueira, Secretário Geral da FENPROF (foto: J. Caria).

A reunião decorreu em Lisboa, na Secretaria de Estado da Inclusão de Pessoas com Deficiência, nas instalações do Ministério do Trabalho e da Segurança Social, na Praça de Londres. 

Para além de outros temas de interesse geral para o reforço do caráter inclusivo da Escola Pública e da Educação em Portugal, a FENPROF chamou a atenção dos governantes presentes para três matérias essenciais:

  • A criação de melhores condições de trabalho nas escolas para os professores portadores de deficiência, entregando aos governantes presentes, o Caderno Reivindicativo aprovado em encontro nacional que promoveu e ratificado pelo seu 12.º congresso, realizado em abril de 2016;
  • A criação de condições de estabilidade, através da criação de grupos de recrutamento, para os docentes de Língua Gestual Portuguesa (hoje contratados como técnicos especializados) e para os que exercem atividade na Intervenção Precoce, uma área de elevada importância na qual os docentes são “colocados” por convite. Esta é matéria muito importante neste momento em que, em negociação, se encontra a aprovação de alterações ao atual regime jurídico de concursos;
  • revisão do Decreto-Lei n.º 3/2008, que estabelece o regime de Educação Especial e que, na opinião da FENPROF, poderá não estar a ser revisto no sentido de conferir às escolas condições que as tornem mais inclusivas nas respostas que dá aos alunos e, em particular, aos que têm necessidades educativas especiais.
Voltar ao Topo