CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
05 out 2007 / 20:34

"É inadmissível que no Dia Mundial do Professor se exprima ódio sobre os Sindicatos dos Professores!"

Tanto Manuel Carvalho da Silva como Mário Nogueira (ver outra peça) criticaram com grande firmeza as infelizes declarações do Primeiro Ministro, no dia 5 de Outubro, sobre os professores e as suas legítimas organizações representativas.

Questionado sobre a 'nota' de Cavaco Silva, no discurso oficial do 5 de Outubro, dia da implantação da República, para a necessidade de prestigiar e acarinhar a figura do professor, José Sócrates recusou que esse apelo tenha sido uma crítica ao Governo. "O Governo não ataca os professores", salientou Sócrates, alertando os jornalistas para não "confundirem professores com sindicatos". Esta confirmação do ataque do Executivo às organizações representativas dos docentes e aos dirigentes sindicais originou uma vaia monumental no Coliseu.
O secretário-geral da CGTP-IN interrogou mesmo: "Como é possível no Dia Mundial do Professor um Primeiro Ministro ter o atrevimento de fazer uma afirmação dessas, atacando os Sindicatos?..." E sublinhou ainda que "em democracia isto é criminoso".

Os Sindicatos são indispensáveis
à sociedade


"Tem que se ensinar ao Primeiro Ministro e aos membros do Governo que os Sindicatos , em democracia, têm um papel tão digno como o de qualquer outra instituição", afirmou Carvalho da Silva, que acrescentaria:
"Os Sindicatos são indispensáveis à sociedade. Até mais do que os maus governantes de um País... É inadmissível que no Dia Mundial do Professor se exprima ódio sobre os Sindicatos dos Professores!" / JPO

Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Acção Sindical
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo