CGTP  |  FRENTE COMUM  |  INTERNACIONAL EDUCAÇÃO  |  FMTC  |  CPLP-SE
 
 SPN  | SPRC  | SPGL  | SPZS  | SPRA  | SPM  | SPE  

FENPROF
23 dez 2016 / 15:46

Petição dá origem a importantes iniciativas parlamentares que a valorizarão

Com mais de 77 000 subscritores, foi  a plenário da Assembleia da República (23/12/2016) a Petição em defesa e pela valorização da Escola Pública, que já esteve na origem de diversas iniciativas, designadamente da Marcha em defesa da Escola Pública realizada em 18 de junho do ano em curso.

Esta Petição foi saudada pelos grupos parlamentares de PS, BE, PCP e PEV e contrariada pelo CDS-PP que, de acordo com o seu ideário político, defendeu um conceito de escola pública que, claramente, não é o que subjaz à Petição em debate.

Já o grupo parlamentar do PSD decidiu fugir ao debate político, optando por gastar o seu tempo com provocações à FENPROF, enquanto um reduzido grupo de deputados gesticulava nervosamente e dirigia palavras pouco simpáticas a alguns dos peticionários presentes. Foi, aliás, uma situação sui generis a de um deputado da República dirigir uma intervenção a cidadãos presentes nas galerias que, dada a circunstância, estavam impedidos de lhe dar qualquer resposta.

Incidente à parte, decorrente de um comportamento normal de quem procura evitar que se fale do seu papel nocivo para Escola Pública de qualidade, a sessão permitiu, ainda, que alguns grupos parlamentares anunciassem iniciativas muito importantes para a Escola Pública, designadamente BE (projeto de resolução) e PCP (projeto de resolução e projeto de lei sobre gestão democrática).

No final da sessão, já no exterior da A.R., Mário Nogueira e outros dirigentes da FENPROF divulgaram junto de alguns órgãos de comunicação social o jornal "Em defesa do que é de Todos", que será distribuído gratuitamente à população, em todo o país, a partir de janeiro de 2017 (fotos: JPO).


 

 


 
Imprimir Abrir como PDF

Partilhar:

|

Nacional
Skip Navigation Links.

Voltar ao Topo